ATO-UNIFICADO

SINDPOC convoca categoria para ato unificado dia 7 de abril

Na data será o Dia Estadual de Luta dos servidores públicos; todos os policiais e seus familiares devem comparecer

A fim de protestar contra a imposição de reajuste zero feita pelo Governo do Estado o SINDPOC, juntamente com os sindicatos filiados a Fetrab, decidiram marcar 7 de abril como um Dia Estadual de Luta dos servidores públicos. As entidades não aceitam a decisão do governador Rui Costa e de seu secretário da Fazenda Manoel Vitório e exigem a abertura de negociação e recomposição salarial.

Para o presidente do sindicato Marcos Maurício, o governo não pode impor reajuste zero sem apresentar a verdadeira situação financeira do Estado. “Os servidores amargam perdas de mais de 18% em três anos, sendo 10,67% somente em 2015; e o restante é resultado da política de parcelamento do IPCA em 2013 e 2014”, lembra ao cobrar sensibilidade do governador para com a situação daqueles que executam as políticas públicas de seu governo.

A decisão de realizar esta primeira mobilização foi tomada durante reunião ocorrida no último dia 21. Para a Federação e os sindicatos o governo precisa deixar claro qual a razão para não reajustar os salários. “Enquanto impõe um enorme sacrifício aos servidores, o governo vem praticando um ajuste fiscal que tem penalizado muito o funcionalismo público, como auxílio alimentação defasado, mudanças no Planserv e também cortes de diárias e gratificações”, lamentou o secretário-geral do SINDPOC Bernardino Gayoso ao conclamar toda a categoria a participar da manifestação.

Além de participar da luta unificada com os demais servidores o SINDPOC definiu um calendário próprio de mobilização, deliberado nas cinco últimas assembleias gerais da categoria (todas em 2016). Entre as deliberações, estão: as unidades que estão em estado precário receberão um selo declarando as péssimas condições de trabalho e serão paralisadas por 24h.

No dia 2 de maio será lançada a Cartilha Operação Legal e no dia 20 acontece a Expo Violência, no Farol da Barra. Durante o ato, o sindicato fixará no cartão postal de Salvador a quantidade de cruzes correspondentes ao número de homicídios ocorridos na Bahia.  Nas delegacias das principais cidades do Estado haverá também manifestações simultâneas.

Ascom – SINDPOC

Compartilhe com:

FacebookTwitterGoogleLinkedIn